UFG de Catalão instala curso de medicina

O governador Ronaldo Caiado participou, na noite de segunda-feira (11/3), da aula inaugural do curso de Medicina da Universidade Federal de Goiás, Regional Catalão (UFCAT). “A Medicina é uma missão que exige empenho e devoção”, disse ele, que é médico há 44 anos.
Caiado, à época como senador, foi um dos responsáveis pela autorização do curso e celebrou a conquista da cidade.  “Catalão passa a ter uma grande diferença: a formação da faculdade de Medicina. E a instalação dela, tendo um curso reconhecido de uma universidade federal, é algo que tem conceito não só na classe médica, mas em todo cenário nacional”, assegurou.
Recepcionado pelo prefeito Adib Elias e acompanhado pelo secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino, o governador comemorou a oportunidade de estar presente à aula inaugural. A primeira turma é formada por 50 alunos e o evento fez parte da semana de integração dos acadêmicos.
O reitor da UFG, Edward Madureira, ressaltou que independente da emancipação da UFCAT, Goiás está constituindo um sistema de universidades federais que vão atuar em conjunto e que o interesse é o avanço da boa formação e o desenvolvimento do Estado. Madureira também destacou que este ano Goiás irá ganhar o maior hospital universitário do país, com 600 leitos (o dobro do que tem hoje), dos quais 120 serão unidades de tratamento intensivo (UTI). “Essa estrutura estará a serviço do Estado de Goiás, da saúde, do povo goiano. E estamos completamente abertos para trabalhar pelo desenvolvimento de Goiás e do País”, reforçou.
O prefeito de Catalão, Adib Elias, reconheceu o trabalho de Caiado para a criação do curso, que para ele foi “árduo e exaustivo” e lembrou que esse é o pontapé para a regionalização da saúde em Goiás. “Tenho absoluta certeza que vai acontecer a pré-regionalização com o fortalecimento da Santa Casa de Misericórdia e o atendimento aqui na nossa região”, afirmou Adib Elias, que ainda destacou os benefícios da UFG regional Catalão. “O jovem quando passa no vestibular, se muda e tem que alugar um apartamento, se alimentar, colocar combustível. Isso provoca um grande desenvolvimento econômico na cidade. Isso é o que está acontecendo e vai continuar.”
A diretora regional da UFCAT, Roselma Lucchesse, destacou que o momento é singular e lembrou que diversos agentes, entre eles o governador Ronaldo Caiado, trabalharam voluntariamente no processo de criação do curso de Medicina, bem como na lei federal que criou a instituição que está em fase de implantação. “Agora, vamos juntos construir essa história. Formar médico humano, reflexivo, que atua na promoção da saúde, prevenção e redução de agravos e que possa atuar no ensino em saúde, na pesquisa em saúde, e na gestão de serviços públicos, contribuindo maciçamente com o Sistema Único de Saúde (SUS)” discursou. (Fonte: A Redação – Foto: Governo de Goiás)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *