Escola de Silvânia cria projeto de incentivo à leitura

A leitura é um prazer, mas requer esforço e boa vontade de quem lê. Partindo dessa premissa, o Centro de Ensino em Período Integral (Cepi) Moisés Santana, em Silvânia, criou o projeto “Ler, pra quê?”  para transformar a leitura em um hábito diário entre os alunos do Ensino Fundamental 2.

O projeto foi lançado em março deste ano e a primeira ação mobilizou a escola em torno da escolha do nome e do design de uma moeda de troca, que é o carro chefe da ideia. Sob a coordenação da professora de Arte, os estudantes criaram cédulas diferenciadas para três valores: 5, 10 e 15.

Durante o desenrolar do projeto, os alunos vão adquirindo suas moedas de diferentes formas. Cada livro lido garante a eles o direito de receber 15 moedas. O dinheiro fictício também pode ser conquistado a partir de resumos escritos das obras literárias, atividades desenvolvidas semanalmente na Sala de Leitura sob a orientação da professora de Português, resumo oral do livro, entre outras ações.

As moedas adquiridas pelos alunos poderão ser utilizadas para a compra de cartelas de um bingo, realizado todos os meses, ou ainda na aquisição de comidas e bebidas que serão comercializadas na Feira de Alimentação que será realizada no segundo semestre. “Para participar da feira, eles deverão ter acima de 40 moedas”, diz o diretor Edilson Ponciano. Segundo ele, a proposta do projeto é incentivar a leitura de, no mínimo, três livros por semestre.

Para incentivar uma adesão ainda maior dos alunos, todos os textos produzidos por eles, a partir da proposta do projeto, são divulgados no Facebook do Cepi Moisés Santana e no Jornal A Voz.

Inclusão

Os alunos do Atendimento Educacional Especializado (AEE) também estão participando do projeto “Ler, pra quê?”. A professora de Apoio à Inclusão coordena a leitura coletiva de um mesmo livro e realiza a retomada oral da obra lida. Depois é feito um resumo com a participação de todos. Já a partir do segundo livro, a ideia é de que o resumo seja feito individualmente.

Outra ação que integra o projeto é a campanha que está sendo realizada pelas redes sociais para estimular a doação de livros para enriquecer o acervo da Sala de Leitura da escola. A culminância do projeto no primeiro semestre foi realizada no dia 7 de junho e a do segundo semestre será no dia 26 de novembro.

O diretor Edilson explica que o projeto busca mostrar aos estudantes que os livros são uma rica e interessante fonte de prazer, da mesma forma que a internet, o videogame, o celular e as redes sociais, desde que bem utilizados.

“Por meio da atividade de leitura é que as necessidades e dificuldades existentes no processo ensino aprendizagem são superadas, fazendo com que o leitor possa enriquecer melhor o seu vocabulário, desenvolver seu raciocínio, ampliar o conhecimento de mundo e a capacidade de interpretação. Nesse sentido, a leitura é um dos principais instrumentos para formar cidadãos críticos e formadores de opinião”, comenta o diretor.  ( Rio Vermelho FM )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *