Fica Vivo consegue alvará de funcionamento da vigilância sanitária estadual

O Centro Terapêutico Fica Vivo, entidade sem fins lucrativos voltada para a recuperação de dependentes químicos, pode reabrir suas portas em breve. Nesta terça-feira, 01 de outubro, a Superintêndencia de Vigilância em Saúde (SUVISA), da Secretaria de Estado da Saúde, emitiu Alvará de Licença Sanitária permitindo que a entidade retome suas atividades em Silvânia depois de quase um ano.

No dia 25 de outubro de 2018, a SUVISA decretou a interdição do Centro Terapêutico Fica Vivo por tempo indeterminado até sua regularização junto ao órgão sanitário. No Auto de Interdição, também ficou determinado que a entidade teria 15 dias para realizar a transferência dos 14 residentes do local para instituições destinadas aos seu tratamento ou que fosse entregues para seus pais ou responsáveis.

A interdição do Fica Vivo se deu após vistorias da SUVISA constatarem que o local precisava de adequações em suas estruturas físicas para acolher os residentes e não oferecia o tratamento necessário, com profissionais da saúde disponíveis para o atendimento dos internos em recuperação.

Na época da interdição, Lizomar da Silva, coordenador do Centro Terapêutico, explicou que, como a entidade vivia de doações, ele estava aguardando o material necessário para a reforma do local. Outra dificuldade que ele relatou era a da contratação de profissionais da área de saúde para trabalharem no atendimento dos residentes. Lizomar disse o Centro não tinha condições financeiras para pagar por esses profissionais.

No entanto, ele garantiu que nenhum dos residentes queria deixar o local e que iria tentar reverter a situação. No entanto, o Centro Terapêutico ficou fechado desde então.

Agora, com este Alvará emitido pela Superintência de Vigilância em Saúde, a expectativa é que a entidade volte a funcionar em breve. Lizomar garantiu que todas as adequações exigidas pela SUVISA foram compridas, e por isso, a nova vistoria aprovou sua reabertura, que deve ter também a autorização da Justiça.

Lizomar destaca que toda a documentação necessária já foi entregue à juiza da Comarca de Silvânia, Dra. Nathália Arantes Bueno da Costa, e agora, espera sua aprovação para que a entidade retome suas atividades.  ( Fonte: Rio Vermelho FM )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *