Candidato a prefeito de Anápolis agride jornalista após entrevista à emissora da rádio

Uma entrevista acabou em confusão início da noite desta quarta-feira (14/10) em Anápolis. O candidato à prefeito pelo PSL, Valeriano Abreu após ter sido confrontado com uma pergunta um tanto incômoda. Uma ação disponível no sistema de processos eletrônicos do TJGO consta ações trocadas entre o prefeitável e um condomínio da cidade anapolina enquanto era síndico.

“De acordo com a ação, os condôminos quando assumiram a administração, notaram três saldos financeiros diferentes das planilhas apresentadas pelos senhor. Candidato, a população quer saber, com as contas do condomínio que garantia a população pode ter da transparência e com a boa administração com as contas do município?”

O candidato não gostou nada da pergunta. Disse que estava surpreso, que tudo era mentira e que iria processar à rádio e o jornalista que fazia a pergunta – Rogério Fernandes. Valeriano subiu o tom dizendo que aquilo não passava de calúnia e que se eleito, realocaria a verba do município para publicidade. “A entrevista ocorreu dentro de uma certa animosidade porque não sei por quais motivos eles queriam denegrir [sic] minha imagem a entrevista inteira”,

Quando a entrevista se encerrava, o produtor do programa Weber Witt, pediu para que o candidato e sua equipe se retirassem. O vídeo da câmera de segurança mostra Witt acompanhando Valeriano, dois assessores e a esposa do candidato quando leva uma cotovelada de Abreu.

Valeriano afirma que o que se passou foi uma reação à uma atitude do produtor de reportagem. “O rapaz segura uma mulher que está dentro do estúdio que é minha esposa. Ele agarra minha esposa tentando retirá-la do estúdio segurando os braços. Minha esposa, meu amigo. É claro que gera uma animosidade, depois pra completar ele me empurra na saída”.

Ele também diz que vai pedir às câmeras de segurança da recepção pois depois deste momento, o candidato diz ter sido agredido por funcionários da rádio. “Eu estou atrás da rádio apresentar as imagens da recepção porque na recepção eles foram para cima de mim. Depois que eu saí, eles foram para cima de mim aos socos e pontapés e esse vídeo a rádio não quer apresentar. Pedi ao delegado de polícia que possa apresentar esse vídeo para poder elucidar esses fatos”, afirma.

Ele reconheceu que a pergunta feita durante a entrevista o incomodou e que isso foi uma ‘reação’ à todo o contexto. “Foi a provocação durante da entrevista, depois, o fato do rapaz segurar minha esposa, depois vir ficar por cima de mim e me empurrar isso gera uma reação”, salientou.

O  coordenador da Rádio São Francisco, Edmilson Almeida negou que houve qualquer agressão, inclusive o próprio Almeida não deixou que qualquer animosidade a mais acontecesse. “Eu estava lá e eu fui a pessoa que não deixou ninguém agredir ele. Eu retirei ele e a esposa da rádio porque os funcionários já estavam revoltados e eu tirei ele da rádio. Se ele solicitar as imagens isso vai mais caracterizado. Ficará pior para ele a situação. Não tem justificativa, o que ele fez não tem justificativa. Se ele ficou irritado com as perguntas que foram feitas a ele, isso é um problema que se resolve conversando, agora ele vai agredir um produtor que não tem nada a ver?”, indagou.  ( Diário de Goiás )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *