Goiás registra 51 focos de incêndio em menos de uma semana

Goiás registrou, entre os dias 29 de junho e 05 de julho, 51 focos de incêndio. Os dados são do Boletim Queimadas divulgado pelo Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo) da Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). Segundo o levantamento, no mesmo período do ano passado foram registradas 74 queimadas, uma queda de 31%.
O mapa de risco feito pelo Cimehgo aponta que quase todo o Estado está em nível alto de alerta. Já são mais de 40 dias sem chuva, com umidade relativa do ar girando em torno de 20% a 30%. O mês de junho registrou, ao todo, 403 focos de incêndio.
Os municípios com mais focos foram Cavalcante, no Norte do Estado, com cinco, e Mineiros, no Sudoeste goiano, com quatro. Segundo André Amorim, gerente do Cimehgo, a Semad está em contato constante com os municípios e tenta identificar as razões das altas. “Vamos entrar em um momento de baixa umidade relativa do ar e temperatura mais alta, por isso é preciso manter a vigilância constante e reduzir o tempo de resposta às possíveis emergências”, disse.
No acumulado de todo o mês de julho de 2019, a região Norte registrou 98 queimadas, enquanto o Sudoeste atendeu a 71. Nos cinco primeiros dias levantados pelo Boletim Queimadas nº 5, a região Norte já havia registrado 13 queimadas e o Sudoeste, 14. Na região que abrange Mineiros, Rio Verde e outros, o quadro é preocupante: na mesma semana do ano passado, foram quatro focos, enquanto no boletim atual foram registrados 18.
Na região Norte, apesar da queda de 31 focos para 15 na semana em questão, a preocupação é com os incêndios registrados na Área de Proteção Ambiental (APA) do Pouso Alto, com regiões de difícil acesso para as equipes de combate.  ( A Redação )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *