Goiás terá mais radares nas rodovias

A Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) publicou, nesta terça-feira (30), o edital para contratação de empresas especializadas no serviço de monitoramento eletrônico de velocidade. A licitação será na modalidade Pregão (Eletrônico), tipo menor preço por lote, em sessão pública eletrônica, a partir das 8h30 do dia 15 de julho, através deste link.

Os radares vão substituir os contratos em vigor dos equipamentos instalados nas rodovias estaduais. Não fazem parte do processo licitatório os radares móveis, que foram retirados das rodovias por determinação do governador Ronaldo Caiado, no ano passado.

Estão previstas a instalação de 190 controladores de velocidade e 651 lombadas eletrônicas nas rodovias goianas. Todos os pontos atuais continuarão a ter cobertura e a ideia é expandir para entradas de municípios do interior e em locais com grande quantidade de acidentes.

Segundo a Goinfra, a nova modelagem licitada permitirá a contratação por valores mais vantajosos para o estado. Mas a agência vai manter os contratos atuais até que o certame seja concluído. A expectativa de nova contratação é iminente, observando tão somente os prazos legais relativos ao pregão. O quantitativo será implantado ao longo dos 36 meses, conforme cronograma físico financeiro que será publicado juntamente com o edital.

De acordo com o presidente Pedro Sales, a nova contratação vai reforçar a importância de não permitir descontinuidade desses serviços. “Não queremos permitir a descontinuidade de um dia sequer quanto à cobertura contratual relativa a estes equipamentos”, ressalta.

Segundo Sales, a contratação visa garantir a perenidade desse serviço essencial para manter a segurança dos usuários da malha goiana, na medida em que permite o uso de controladores e redutores eletrônicos de velocidade em pontos com maior potencial de acidentes.

Conforme informação da Goinfra, além de serem fundamentais para salvar vidas sob o ângulo da segurança viária, os equipamentos geram recursos importantes que são aplicados na melhoria das condições estruturais da malha, razão pela qual não pode haver nenhuma lacuna entre a contratação vigente e a nova. “Este foi o motivo da última prorrogação que será imediatamente encerrada com a assinatura do contrato futuro”, diz Pedro. ( Fonte: Diário de Goiás – Foto: Goinfra )

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *