Justiça mantém trancadas investigações contra padre Robson

A Justiça de Goiás manteve suspensa a investigação contra o padre Robson. Promotores apontavam suspeita de desvio de dinheiro, oriunda de doações de fiéis à Associação Filhos do Divino Eterno (Afipe). Nesta terça-feira (27/10), os desembargadores da 1ª Turma da Câmara Criminal de Goiânia continuaram, por unanimidade, o entendimento de que não há crime. Por isso, o Ministério Público (MP) não poderá continuar as apurações.
As investigações contra o religioso e as entidades foram trancadas no último dia 6 de outubro, após um pedido de habeas corpus da defesa de padre Robson. O MP entrou com recurso e a Justiça determinou a manutenção do trancamento. O órgão investigava suposta lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e sonegação fiscal. A todo momento o padre negou que tenha cometido tais crimes.

O advogado de defesa do padre, Pedro Paulo Guerra de Medeiros, disse que vê “com satisfação o reconhecimento de que nunca houve qualquer irregularidade na administração da Afipe por parte do Padre Robson”. “Agora, aguardamos que o tempo cuide de reparar a injustiça cometida contra o Padre. Ele aguarda humilde e serenamente que a Igreja Católica e a sua honrada Congregação lhe encaminhem os próximos passos”, acrescentou.

O Ministério Público pode ainda recorrer da decisão no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *