Orizona: Solidariedade pode ficar fora das eleições deste ano

Em Orizona poderá haver mudança na configuração da coligação “Esperança de uma Orizona cada vez Melhor”, que tem como candidato a prefeito João Flávio Caixeta (PSB) e a vice Sidney Mendes (Solidariedade). A coligação  também conta com chapas de vereadores do PSB, Solidariedade, PSL, PSDB e Progressistas. O juiz  Hélio Antônio Crisóstomo de Castro da 27ª Zona Eleitoral, sediada em Pires do Rio,  indeferiu os registros das candidaturas do Solidariedade em Orizona.
O juiz  acatou recomendação do Ministério Público Eleitoral, representado pelo promotor Fabrício Roriz Hipólito. Ao analisar o Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (DRAP), documento apresentado pelos partidos quando é feito o registro de candidaturas, foi identificado que o Solidariedade não estava regularmente constituído no Município, não tendo emitindo CNPJ em tempo hábil.
Para justificar a sua posição, o promotor recorreu à legislação eleitoral. Conforme prevê a resolução nº 23.609, de 18 de dezembro de 2019, em seu artigo 2º, “poderá  participar  das  eleições  o  partido  político  que,  até  6  (seis)  meses  antes  da  data  do  pleito,  tenha  registrado  seu  estatuto  no  TSE  e  tenha,  até  a  data  da  convenção,  órgão  de  direção  constituído  na  circunscrição,  devidamente  anotado  no tribunal  eleitoral  competente,  de  acordo  com  o  respectivo  estatuto  partidário”.
O promotor solicitou no último dia 13 de outubro o indeferimento do DRAP e justificando que “o indeferimento do DRAP é fundamento suficiente para indeferir os pedidos de registro a ele vinculados”, conforme artigo 48. Desta forma, todos os pedidos de candidatura do Solidariedade seriam indeferidos.
Em 14 de outubro, o juiz eleitoral emitiu despacho acatando a posição do Ministério Público e deu prazo de três dias para a coligação dar explicações, uma vez que o partido não apresentou número de CNPJ do diretório municipal. A coligação “”Esperança de uma Orizona cada vez Melhor” se pronunciou nesta sexta-feira, 17 de outubro.
Em uma mensagem que foi veiculada em grupos de Whatsapp, o vereador Carlos Eduardo da Silva, dirigente do Solidariedade de Orizona, disse que o partido entrou com recurso, mas se o juiz não acatar não vão recorrer em outras instâncias.
O vereador disse que a responsabilidade de não ter feito o cadastro do diretório municipal do partido na Receita Federal foi da direção estadual e do escritório de contabilidade que presta serviços para o Solidariedade.
Carlos Eduardo, que é candidato à reeleição, disse que mesmo o Solidariedade ficando formalmente fora da campanha, apoiará a chapa de João Flávio e continuarão trabalhando por Orizona, uma vez que os integrantes do partido tem histórico de serviços prestados e de compromisso com a população.
São candidatos pelo partido, além do vice Sidney Mendes, os vereadores Carlos Eduardo da Silva (Carlinhos do Buritizinho), Marlon Brando Mendes Almeida, Realino Pereira Caixeta Neto (Neto do Dozin), Jeremias de Sousa Mendes, Rosirene Silva da Costa e Selenita dos Anjos de Oliveira. Caso o Solidariedade seja impugnado, todos estes estarão fora da eleição.
Em petição apresentada pela representação jurídica da coligação na noite deste sábado, 17, foi solicitado a exclusão do partido Solidariedade da chapa. A petição assim diz:
“Consta nos autos que a situação jurídica do partido Solidariedade (integrante da coligação) na circunscrição encontra-se irregular, porquanto não apresentou o número do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica no prazo de 30 (trinta) dias da anotação. A fim de sanar tal irregularidade, informa-se que o Partido Solidariedade será excluído do DRAP da Coligação Majoritária COLIGAÇÃO “ESPERANÇA DE UMA ORIZONA CADA VEZ MELHOR”, oportunidade que será formada apenas pelos partidos PSL, PSB, PSDB, PP. Informa-se ainda, que a Coligação Majoritária irá se reunir para deliberar a substituição do candidato à Vice-Prefeito dentro do prazo legal consignado no art. 72 da Resolução TSE nº 23.609/2019”.
De acordo com artigo 72 acima citado, a coligação teria prazo de dez dias apresentar uma nova candidatura a vice-prefeito.    ( Fonte: Orizona em Foco )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *