Turistas da região do lago de Corumbá IV recebem orientação ambiental e kits ecológicos

Cerca de cinco mil turistas que passaram pelas estradas de acesso ao reservatório da Usina Hidrelétrica de Corumbá IV ou acamparam nas margens do lago receberam, este ano, kits ecológicos durante atividades do Programa de Educação Ambiental (PEA) da Corumbá Concessões, gestora do empreendimento. As ações, num total de 24, foram realizadas nos municípios do entorno do reservatório – Luziânia, Abadiânia, Silvânia, Alexânia, Corumbá de Goiás, Novo Gama e Santo Antônio do Descoberto.  A Usina fica localizada em Luziânia (GO), a 70 km de Brasília.

Durante 17 Paradas Ecológicas (PE) em estradas de acesso ao reservatório e sete Abordagens Via Lago (AVL), os agentes distribuíram 4.045 kits ecológicos contendo cartilhas e folders com orientações sobre o Cerrado, preservação do lago de Corumbá IV e sua Área de Preservação Permanente (APP), Prevenção de queimadas, flora, ictiofauna e destinação correta de resíduos, entre outros temas. As pessoas contatadas receberam, também, o Informativo UHE Corumbá IV, sacos biodegradáveis para lixo e lixocar.

Pandemia

Com o início da pandemia, que impactou todos os setores da sociedade, o PEA sofreu algumas alterações em sua programação para se adequar às novas exigências sanitárias da Organização Mundial de Saúde (OMS). Nesse período não foi possível realizar eventos presenciais, como oficinas e seminários, porém, o programa redirecionou as ações durante a pandemia. Os agentes visitaram propriedades rurais, de abril a junho, para levar aos moradores orientações sobre a prevenção da Covid-19 e entregar máscara às pessoas do grupo de risco.

Após as visitas, as PE´s e as AVL´s continuaram a ser realizadas, quando os agentes incluíram a prevenção da Covid nas orientações ambientais durante o lazer no lago. “Aqui é um excelente local para lazer, com acesso fácil ao lago e água limpa”, disse o morador de Brasília, José William de Souza, que acampava com a família, em Abadiânia. Para ele, todo cuidado é pouco na hora de usufruir as delícias do reservatório, desde o recolhimento do lixo até o uso de colete nos banhos e passeios de barco. Durante a pandemia, ao ar livre, William reconheceu que “relaxa um pouco com o uso de máscara”, mas disse que está sempre alerta para evitar aglomeração.

Os agentes ambientais observaram, durante as últimas AVLs, que a grande maioria das pessoas acampadas estava sem máscaras e não se preocupava em manter a distância social. “É bom frisar que, embora os visitantes estivessem agindo como em tempos normais, a pandemia não acabou. O PEA recomenda que mesmo em atividades ao ar livre os turistas devem manter os cuidados protetivos”, orientou Juliana Marques Lago, coordenadora em campo do PEA.

Na avaliação da analista ambiental da Corumbá Concessões, Marinez de Castro, a Educação exige uma reflexão crítica sobre as nossas práticas: “O que estamos fazendo impacta ou melhora o meio ambiente? É necessário um despertar diário, reconhecer que a vida é dinâmica e que essa dinâmica fica também entre o fazer e o pensar. É desafiador sair do automático das nossas ações para renunciar a hábitos que podem prejudicar nossa saúde e o meio aonde vivemos. A Educação tem tudo a ver com valores dos quais precisamos nos alimentar frequentemente. Cada um de nós precisa buscar uma razão pela qual valha a pena se movimentar para nos tornarmos um ser humano melhor, que contribua para um mundo melhor”.

Os projetos de educação ambiental – monitorados pelo Ibama, que é o órgão fiscalizador da UHE Corumbá IV -, são contínuos. “A programação de 2020 se encerra este mês e um novo planejamento está sendo organizado para começar novembro próximo, com término em outubro de 2021.

( Fonte e Foto: Corumbá Concessões )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *